quinta-feira, 29 de março de 2012

Resenha: Aprendiz de Inventor

Eis-me aqui para salvar a pátria! Mais uma vez eu vou escrever uma resenha enorme, só porque eu tenho um coração solidário e uma alma cheia de amor. 

                     Aprendiz de inventor   

  Era uma vez um menino que era apaixonado pelos sons. O que um latido de cachorro de madame dizia? E um latido de cachorro de rua. Certa vez ficou sabendo que na cidade havia um inventor muito bom, e foi até sua oficina para pedi-lo um decifrador de sons. Chegando lá ele encontrou o inventor sentado no chão no "meio de várias geringonças, montando um estranho aparelho que se assemelhava a um rádio portátil"
  O menino pergunta o que era aquilo e descobre o que era exatamente o que procurava. O inventor sabia. Como? Ele viu no seu oráculo eletrônico. Ele viu uma maquina que se parecia "um relógio de ponto com uma porção de cartões",  que era a misturadora de letras; "cada cartão tem uma pequena história,você escolhe um cartão, coloca na máquina e ele vai mesclando as letras". Depois de experimentar, o menino perguntou o que era "uma espécie de gravador em miniatura." Era o Lost, um aparelho que sinalizava o que estava perdido na Terra do Lá ou se estava na Terra. " A Terra do Lá é o lugar pra onde vão as coisas que desaparecem misteriosamente e não se encontram mais nesse mundo". Funcionava assim "Você diz o que perdeu e pergunta onde está. O visor tem dois leds. Um está escrito aqui, e outro lá. A luz de um deles vai acender, sinalizando a resposta." O menino fica curioso para saber como se chega na Terra do Lá e o velho diz que não sabe, que olhasse no Livro das respostas sobre a bancada. Mas todas as páginas estavam em branco. O decifrador funcionava muito bem e também podia ser um antecipador de notícias. O menino não tinha como pagar então ficou de vir no dia seguinte para ajudar o velho senhor.
   No dia seguinte o menino foi a casa do velho chamou, chamou, mas ninguém respondeu. Entrou na garagem. Foi explorar as invenções e ficou impressionado com a incubadora de ideias, que dizia se a ideia era boa ou não, se tinha futuro. Quando ele foi experimentar, tropeçou num fio e deixou cair uma caixa de parafusos. Olhou no seu decifrador que dizia: Olhe o Lost!. Quando ele olhou, decidiu perguntar:
  - Onde está o inventor?
  O led do lado De Lá acendeu. Estava pensando no acontecido quando uma lufada de vento veio de dentro do armário e o decifrador disse: Seraaaaaá?
  Intrigado com o assunto, decidiu consultar o livro das respostas, quem sabe ele não tinha lido direito?As páginas o faziam esquecer o problema, e em sua cabeça vieram algumas hipóteses. Aí lembrou-se  da encubadora de ideias, enfiou a cabeça lá dentro e perguntou se para chegar do lado de Lá era preciso se perder. Positivo. Perguntou se para isso era preciso perder algo valioso. Negativo, basta perder o medo de olhar o lado oculto da vida para chegar rapidinho lá.  Existe alguma fórmula para isso? Positivo. Óculos da poesia.  Achou na garagem o óculos e colocou e assim apareceu num lugar idêntico á garagem, mas sem tantas gerigonças. Saiu andando por aí em direção á sua casa.  Começou á conversar com uma voz, que havia sido perdida. Ela disse que as coisas só eram perdidas para que os seres humanos aprendessem uma lição. Conversou com a cabeça da mula sem cabeça, que disse a mesma coisa que a voz. Conversou com um sorriso que disse a mesma coisa, um cachorro, um desejo, e uma esperança que após tantas conversas ele sabia que as esperanças tinham mais chance de ser resgatadas por PALAVRAS. Tirou os óculos e foi até a casa do inventor, onde ouviu um rec-rec-rec que seu decifrador dizia"Força senão eu não corto essa madeira"
   O menino contou tudo o que havia acontecido ao mestre, que dissepor fim "O Lost está estragado. Só acende o led de Lá" O menino também contou que teve muitas ideias para invenções, mas de acordo com o velho, nenhuma tinha futuro. Abalado o menino diz que não tem vocação para ser inventor. O velho conta que ele trabalha a intuição das pessoas sem que elas percebam, ele programa suas invenções para apenas alguns dias e a partir daí as pessoas trabalham por si só.
   No final da história o menino resolve escrever no computador uma história sobre a sua viagem a terra dois objetos perdidos.

Isabela

6 comentários:

  1. legal eu ja li o livro quase todo dai minha professora pediu para os alunos fazerem um resumo e eu copiei esse texo todinho aa!!! meu dedo ta inchado !!

    ResponderExcluir
  2. meu professor falou para fazermos o resumo de todo o livro

    ResponderExcluir
  3. Olá, td bem?!
    Gostaria de saber se vc tem o suplemento do livro Aprendiz de Inventor, com questões sobre o livro?? Se tiver pode me enviar por e-mail?? Desde já agradeço por sua atenção, um abraço, Ana.

    ResponderExcluir
  4. Muito legal o livro, minha prof mandou eu fazer o resumo então copiei este.

    ResponderExcluir